Archive for the 'Seat' Category

23
Set
09

Seat Ibiza 1.2 2009

Depois de ter conduzido o Seat Ibiza 1.4 TDI, agora tive comigo um 1.2 THP. Digo já no início, é metade do carro (e atenção que o 1.4 TDI não é nenhum canhão…). O motor 1.2 THP é muito fraco e barulhento. Aliás, se todas as estradas fossem a direito, talvez nem se notasse muito a falta de rendimento nem o barulho, mas a questão é que para andar a um ritmo mais ou menos rápido, é preciso puxar por ele, que é quando aumenta (muito) o barulho. Em subidas, é bastante fraquinho. O último carro que me lembro de conduzir e ter esta sensação, foi o 206 1.1 que era claramente submotorizado. Ainda assim o 1.2 do Seat é melhor que isso. Mas é claramente inferior à maioria dos motores da concorrência. Quanto aos consumos, se eu disser que fiz 434 km no total com uma média de 9,6l/100Km talvez seja um pouco inacreditável, mas é verdade. e atenção, eu não ando devagar, mas sou a mesma pessoa que fez 6,5 num Micra, 7 e tal num Fiesta e 8 num Mazda 3 (maior, mais pesado e motor 1.3). Face ao 1.4 TDI este motor é claramente irritante, pois se o outro também faz barulho, a verdade é que muito antes de começar a fazer demasiado barulho está a andar muito mais que o 1.2. Espero com curiosidade o 1.2 TSI do grupo VW para ver um motor realmente interessante.
Curiosamente, apesar dos interiores serem iguais ao outro que tive, depois de ter visto o Fabia, já não fico impressionado nem com a montagem, nem com os materiais dos interiores do Ibiza. Em espaço são muito semelhantes, mas em robustez o Skoda “ganha”.

Anúncios
05
Ago
09

Seat Ibiza 2009

Mais uma experiência, desta vez num carro com cerca de 300Km. Tudo ainda cheirava a novo, faz tempo que não andava num carro assim.
Andei apenas um dia com o Seat Ibiza 1.4 TDI de 2009.

Img080

Finalmente compreendi porque o mundo em geral e até as revistas “da especialidade” teimam em comparar o Ibiza com carros do segmento seguinte, mesmo se este partilha a plataforma e muitos componentes com o Polo e Fabia. O Ibiza é mesmo grande para o seu tamanho, passe a expressão. Penso que a mala deve “dar luta” ao meu Corolla (!).
Gostei muito do novo estilo de design dos interiores da Seat. Não gostei de todos os materiais, mas ainda assim vejo algumas melhorias em relação à geração anterior.

Img082

Em relação ao design exterior, na verdade não o suportava quando apareceu, mas começo a apreciar e esta experiência facilitou essa alteração.

Em condução, nota menos para o 1.4 TDI. o Grupo VW tem rapidamente que substituir este motor. As prestações não deslumbram, apesar de não nos deixar mal, mas também não apetece andar muito depressa porque o barulho cresce (muito) na mesma proporção. Não andei a fazer médias, mas com certeza que aí não há nada que apontar.
Na versão que conduzi a afinação de suspensão e os pneus não deixavam o chassis brilhar muito porque as suas limitações permitiam a entrada em acção do ESP (não experimentei desligar). No entanto pareceu-me ser um carro com uma atitude perante as curvas muito boa, apesar de uma tendência subviradora.
O Ibiza é também muito confortável, mesmo com uma nítida rigidez prepositada e é muito fácil (pelo menos para mim) encontrar uma excelente posição de condução.

Img081

No geral pareceu-me que o Ibiza é um excelente produto, onde naturalmente se reconhecem as qualidades germânicas, mas com um toque latino.

24
Fev
07

Seat Leon FR 1.9TDI

É apenas justo que faça a pequena homenagem de começar a descrever as minhas experiências de condução com um Seat, já que lhes “roubei” a frase.

Leon

Já não sei precisar a data, mas guiei o Seat Leon FR da primeira geração, a versão 1.9TDI com 150Cv, num test-drive em meados de 2004.
É uma verdade que a minha experiência total ainda não é muito grande, pelo que este carro é, ainda hoje, um dos melhores que já conduzi. O carro era novinho, preto, e na altura, com os seus 150cv era dos carros a diesel da gama C mais potentes.
Super-confortável, e não tão exíguo quanto um A3 por exemplo, logo à primeira vista achei que os interiores eram bastante acolhedores e os bancos desportivos em pele davam um apoio espectacular.
Em termos de condução, a primeira coisa que pude destacar foi a suavidade e entrega do motor (ao contrário do que sempre lia sobre estes motores de que em baixas rotações eram barulhentos e pouco vivos) enquanto andava em primeira e segunda para sair do parque do Kartodromo de Palmela (onde estávamos) – muito devagar.
Andei talvez uns 5 km’s em dois sentidos, numa estrada nacional.
Quando o meu “pendura” da Seat me disse para acelerar um pouco numa recta estavamos em terceira a andar devagar. Foi num ápice que atingimos os 150km/h. Tem sempre um rolamento super-confortável, e apesar de não ter dado para testar de forma a perceber o comportamento do carro, deu para perceber que também não se envergonha nas curvas. Trava também muito bem.

Ainda hoje em dia gosto muito do aspecto deste carro (do FR, mas também do Cupra) e a minha experiência só me dá vontade de experimentar o Leon da actual geração, também ele muito interessante visualmente, a nível de motores e chassis (tudo mais apurado, claro está…).

Foto: http://www.autointell.com