Arquivo de Fevereiro, 2011

13
Fev
11

Formação AMAK

Aqui na Madeira, para quem possa estar mais desligado dessa realidade, criou-se e “cresceu-se” uma nova entidade, a Associação Madeirense de Automobilismo e Karting (AMAK).

Se o intuito, nobre, de fazer algo pelos ralis para que a crise não os mate (também por cá, onde a sua representatividade sempre foi assinalável) foi um pouco abanado quando a Federação rejeitou cabalmente a quase integralidade do documento que recebeu, mas os seus membros resistiram e estão a dar a melhor resposta.

Hoje estive, com um grupo grande, interessado e muito amigável, a aprender muito sobre esta modalidade que gosto muito, mas que, pelo menos para já, aprecio “no morro” à beira da estrada.

O que hoje se falou, entre noções básicas de socorrismo, o que fazer, o que não fazer, noções básicas e mais avançadas (discutiram-se pontos sempre polémicos dos regulamentos também), utilização de cartas de controlo, notas, elaboração de projectos e acompanhamento dos mesmos, elementos de segurança e actuação em casos de acidente, enfim, toda a envolvência dos ralis, foram úteis para mim, que estou de fora, mas um marco, tenho a certeza, para todos os que são pilotos e que estiveram presentes.

Houve também lugar para debate de ideias, sobre vários temas e, sobretudo, ouvidos a escutar, para se fazer algo, a partir de cada pedra deste caminho.

Da minha parte, do meu canto, obrigado AMAK.
O Campeonato regional de ralis, mais que isso, os ralis na Madeira deram um grande passo em frente.

Ficou uma promessa de virem a repetir “a dose”, só posso sugerir, e faço-o com toda a abertura.

12
Fev
11

Yaris 1.4D4d 2003 – o melhor e o pior…

Continua igual a si próprio, ao cabo de 135000Km.
Económico, fiável, pequeno por fora, grande por dentro.
Grande companheiro.

(já tinha este post como rascunho desde o inicio do ano)
Tudo verdade até dia 1 de Fevereiro quando

Depois de um episódio isolado de piscar a luz da temperatura uma vez num outro dia (sem quaisquer outros sintomas), voltou a ligar a piscar.
Já tinha andado uns 30 Km, normalíssimo, e depois esteve parado. Quando começou a andar, pouco mais de um minuto ou dois depois (sempre a subir) acendeu a luz da temperatura de novo. Já foi direito para oficina.
Resultado, junta da cabeça do motor queimada, embora a cabeça tenha sido testada e está OK.
Entre bomba de água, termostatos, desmontagem e montagem de tudo, rectificação, descarbonização, kit de embraiagem (que entretanto viu-se já dar mostras de que viria a ceder), tubos dos injectores, velas de incandescência, radiador, oleos motor e caixa e sei lá mais o quê ainda com desconto de 100 euros só em mão de obra, foi uma conta de 1700 e tal euros…