Arquivo de Julho, 2008

31
Jul
08

Seguir o RVM 2008

Para seguir o Rali Vinho Madeira de 2008 nada melhor que adicionar as seguintes páginas aos favoritos:

www.ralismadeira.com
www.madeira-rally.net
www.rally-mania.blogspot.com

Todos eles com muitas fotografias e vídeos da prova. Inclusive o pessoal do ralismadeira está a disponibilizar os programas transmitidos pela RTP-Madeira sobre a prova.

Daqui, desde já e daqui, o meu muito obrigado (inclusivé à RTP-Madeira e à RTP em geral por já ter transmitido a especial hoje na RTP-N)!!
Está a ser quase (falta muito, na verdade… mas enfim) tão bom como estar lá.

Há ainda, claro, o site oficial: www.ralivm.com
E no site da Amaweb (ou no site oficial), os resultados: http://rvm.netmadeira.com/

Das imagens que já vi do shakedown e da especial de abertura, percebi umas coisas:
O Rossetti não se vai intimidar com o menor conhecimento da prova.
O Voilloiz está disposto a tudo para vencer.
O Basso está pronto para o “ou-vai-ou-racha”.
Não tenho a certeza que o Bruno Magalhães vá atacar a fundo logo desde o início.
Já o sabia, mas os italianos têm uma condução espectacular. quase todos os presentes, deram show no shakedown e o espanhol Yeray Lemes também esteve em grande!!
O 207 do Pascoal parece nitidamente inferior aos restantes.
Vai haver muito carro à frente do Punto S2000 do NBPereira.

Está aí mais uma grande edição do Rali Vinho Madeira!! VIVA!!

31
Jul
08

Smart Brabus Nightrun

Há uns dias experimentei um “carro” destes.
Foram, para mim, várias coisas novas (nunca guiei um smart, muito menos um brabus nem nunca havia guiado um carro com velocidades automáticas) e um “teste” demasiado curto para fazer grandes aferições, mas cá fica o mais gritante.

O Smart (este, da segunda geração – Março 2003 até Abril 2007) é surpreendentemente espaçoso não só por sacrificar mais lugares disponíveis, mas porque está bem desenhado. Mesmo a mala, apesar de pouco significativa, não é tão má quanto imaginei.
Esta versão, bem apelativa esteticamente, tem alguns extras interessantes e no motor reside a melhor das versões de produção da Smart, com os 698cc a produzirem uns aparentemente tímidos 75cv, mas “enfiados” num peso-pluma são terrivelmente irrequietos e mesmo assim poupados, com um consumo combinado de 5,3l/100Km.
A direcção é bastante directa e comunicativa e a caixa semi-automática permite que decidamos a sua relação, de forma que também possa por exemplo utilizar o motor como travão numa descida.
Acredito nas potencialidades da utilização de uma caixa automática, especialmente em cidade, no “pára-arranca”, e também acredito que o hábito possa fazer com que nos sintamos descansados com a sua condução.

Mas…

Qualquer passagem de caixa, automática ou comandada pela alavanca sequencial ou patilhas no volante (engraçado isto… brincar aos F1) é horrivelmente lenta. Ok. talvez não seja tão dramático e acredito que rodando a rotações mais elevadas não seja tão mau (para além de ter andado pouco, foi relativamente devagar) mas há um hiato demasiado grande entre a aceleração, mudança e nova aceleração.
Entretanto, já soube que qualquer caixa automática de carros de segmentos inferiores é assim, pelo que percebi que tudo o que seja inferior a uma DSG (que também nunca experimentei, eu sei, mas não pode andar tanta gente enganada….) da VW nunca servirá para mim. Perder a caixa manual para uma coisa destas, para mim não é opção.

31
Jul
08

Volkswagen Scirocco

A versão de competição desenhada para as 24 horas de Nürburgring não seria o que é, se o Scirocco não fosse um produto muitíssimo bem conseguido.
Não andasse eu numa onda mais familiar este seria um automóvel a ter em conta numa próxima compra, sem dúvida nenhuma.

Para além do fantástico efeito de coupé compacto de dois volumes acho que o carro está verdadeiramente sedutor para um carro desenhado num estirador da casa baseada em Wolfsburg. E só melhora quando se observa as características técnicas. A plataforma utilizada é a do Golf, numa optimização clara de recursos, mas para quê renegar o que de bom têm em casa.

No teste publicado há umas semanas na AutoHoje a única coisa que reclamavam era da intromissão do ESP não desligável (enquanto que no Golf GTI é desligável permitindo divertimento), mas os ingleses da revista EVO o que dizem é que, «mesmo quando forçado ao slide, é impressionante como o ESP actua, puxando o Scirocco de volta à linha de curva suave e eficazmente. Mas não há necessidade de “brincar” com o sistema de estabilidade. A distância entre eixos e o centro de gravidade mais baixo significam que o Scirocco pode ser “jogado” às curvas com relativa despreocupação».

Os motores disponíveis vão começar num (só disponível mais tarde) 1.4 TSI aproximadamente com 120cv, o mesmo motor numa versão com 160cv e o 2.0 TSI com 200cv nas versões a gasolina. O bloco 2.0 TDI com 140 e 170cv também estará disponível. Penso que mesmo a versão 1.4 é muito interessante, para além de que o preço é convidativo (dentro dos parâmetros habituais da VW….).

Julgo ainda que este carro ficou muito favorecido pela sua apresentação, fotos de imprensa e publicidade ter sido feita em Portugal. Temos realmente sítios que proporcionam mística e beleza às imagens de bons fotógrafos e realizadores.

– Artigo da EVO aqui.
– Vídeo da EVO com a versão 2.0 TSI numa pista aqui.
– Bastantes fotos (inclusive as de imprensa feitas em PT) e artigo do Motorpasion aqui.

Já disse que gosto deste carro? 🙂

28
Jul
08

Rali Vinho Madeira

Para quem possa pensar que “não reparei” que “a volta” está à porta, “desenganem-se”…

Acredito que vai haver ainda mais espetaculo que no ano passado, e não consigo apontar um favorito… Tenho a certeza que vai ser uma prova muito boa em todos os aspectos. Já começou com a viagem dos meios das equipas de uma forma muito mais correcta.
Bom rali para quem o vai fazer ou acompanhar!

25
Jul
08

Revisão Saxo

Também ao Saxo, foi feita uma revisão a todos os óleos, troca de filtro de óleo, combustível e ar, e substituição de pastilhas de travão da frente por 187 euros. O carro está com 151800 Km’s e picos (e já devia ter ido fazer isto antes, mas ainda não estava mal).

25
Jul
08

Consumos Saxo (5)

Já agora, para não mudar de assunto, hoje fiz mais uma média de consumo do Saxo, desta vez novamente abaixo dos 5: 4,89lt/100Km
Novamente, foi um depósito em que rodei tranquilamente, mas sem grandes preocupações com o consumo. Teve bastante trânsito…

25
Jul
08

Como poupo combustível…

Não me considero nenhuma referência em matéria de economia de combustível, por vezes nem ando de forma nada económica, nem tenho um carro que propriamente me obrigue a isso porque gasta uma média global de 5,04 litros por cada 100km’s percorridos, mas já que ando nesta “história” de apontar os consumos, vou deixar por aqui as minhas “táticas” para poupar um pouco de combustível.
Vou ordenar pelo que dou mais importância ou me parece mais eficaz para diminuir o consumo até aquilo que por vezes faço, mas não tenho notado grande diferença.

1. Suavidade na condução
Sempre que se conduz relaxadamente, por mais que sem quaisquer outras preocupações e independentemente do percurso (já se sabe que, quanto mais kilometros em estrada, tipicamente menor será o gasto), diminui o consumo de combustível.
Já ouvi (ou li) a teoria de que os carros gastam menos se andarem sempre na faixa de rotação em que têm mais binário de cada uma das velocidades. Ninguém (ou poucas pessoas) saberão esse regime de cor, mas para mim isto significa mudar de relação de velocidade sempre que o carro já aguenta “uma acima”.
Para além disso, tentar manter uma velocidade constante, seja ela baixa ou alta, em cidade ou em estrada/auto-estrada, pelos maiores períodos possíveis sem variações no acelerador é uma excelente forma de reduzir o consumo.

2. “Jogar” na antecipação
Está mais ou menos ligado à indicação anterior, mas acho que merece o devido ênfase.
Sempre que se está atento ao que vai acontecer podemos evitar acelerar ou travar demais (as travagens bruscas parece que também aumentam o combustível, mas não percebo nem faço a mínima ideia de porquê), para além de constituir uma atitude de condução defensiva.
Não acelerar para um sinal amarelo, em vez disso por logo a embraiagem ao fundo e deixar a inércia actuar…
E quem é que nunca esteve em stress no trânsito, com pressa, a mudar muitas vezes de direcção, aumentar e diminuir drasticamente de velocidade e a velocidade para tentar se despachar? Pois é… para além de habitualmente não se “chegar longe” com isso, o gasto de combustível é bastante superior. Noto isso perfeitamente.
Aproveitar todas as descidas para não acelerar. No caso dos motores de injecção directa ou os common-rail a injecção é interrompida se o acelerador não está a ser utilizado. Assim, apenas a inércia mantém o carro em movimento e o consumo é literalmente zero. Por essa razão, para além de altamente desaconselhado usar ponto-morto nas descidas, é mesmo inútil na maioria dos carros. Nos motores mais antigos como o do Saxo isso não é bem assim, mas nota-se redução do consumo apenas por não acelerar.

3. Velocidade
Todos os carros têm uma velocidade (na última relação, e em ritmo constante) a partir da qual gastam bastante mais. Cada caso é um caso.
No Saxo 1.5D, por exemplo, se entre os 80 e 95+Km/h gasta nitidamente muito menos, a partir do momento que chega perto dos 100Km/h e até que velocidade eu vá (e ele dá 160Km/h) gasta mais, mas não se nota que gaste mais à velocidade superior.
Já no Yaris 1.4 D4d, gasta muito pouco até +- aos 110Km/h, mas também se nota que gasta ainda mais quando se roda algum tempo para lá dos 140Km/h.

4. Ar condicionado / Janelas abertas
Num caso trata-se de consumo de recursos, no outro de resistência ao ar, mas como ambos servem para climatização estão juntos. Mas não só. Já li algures que o consumo extra de levar o ar-condicionado ligado é semelhante a rodar com duas janelas abertas a 50%.
Para mim, em ambos os casos, como noto diminuição do rendimento do carro (no caso das janelas, se estiver acima dos 80Km/h), acabo por acelerar mais e noto maior consumo.

5. Outros
Tirar todo o peso desnecessário no carro.
Manter o carro afinado, com todos os filtros em bom estado, óleos nos níveis correctos e pressão dos pneus adequada.
Parece-me que, nos carros mais recentes, como têm a gestão electronica optimizada para uma determinada forma de trabalhar do motor, acaba por se notar que a temperatura de funcionamento influencia nos consumos. É, por isso, “boa onda” deixar o carro aquecer um bocado antes de arrancar.
Planear bem as viagens e rotas (mesmo quando só na cabeça, sem gps), encher o depósito em vez de ir várias vezes a postos de combustível, partilhar os lugares disponíveis no carro e… não usar o automóvel quando a vida ou o tempo assim permite, são mais “dicas” para poupar combustível.