25
Maio
07

Economias de escala e Ambiente

Uma economia de escala “(…)ocorre quando a expansão da capacidade de produção de uma empresa ou indústria provoca um aumento na quantidade total produzida sem um aumento proporcional no custo de produção. Como resultado, o custo médio do produto tende a ser menor com o aumento da produção.” (in wikipedia)

E o que é que isto tem a ver com o Ambiente? (e com o mundo automóvel… que é o que aqui se fala) Tudo!

Quanto mais a Indústria investir na investigação e implementação de medidas para redução de emissões ou de consumos, mais barato ficará a longo prazo, especialmente porque terão inevitavelmente que o fazer.

A BMW e Mini acabam de dar um excelente exemplo.

mini
Foto e fonte: Carscoop

Com três tecnologias, já utilizadas em alguns outros modelos – portanto já não são grandes novidades para as quais tenham sidos necessários grandes investimentos de Investigação & Desenvolvimento – conseguem reduções entre os 7,2 e os 11,9% nos emissões de poluentes e entre 6,5% e 12,8 nos consumos!

Para a renegeração da energia de travagem é utilizado um alternador inteligente (Intelligent Alternator Control – IAC) e uma bateria (Absorbent Glass Mat – mais cara, mas mais durável quando sujeita aos elementos) que reutiliza energia que perderia. Enquanto que numa configuração tradicional o alternador “puxa” a energia do motor, o alternador inteligente reduz a carga sobre o motor porque carrega a bateria a partir da energia cinética de uma travagem ou de uma descida inclinada.

A função “Start-Stop”, apenas disponível nos carros com transmissão manual, desliga o motor quando está em “ponto morto” (este sistema pode ser desactivado).

O mostrador de “ponto de troca de caixa” ajuda o condutor a escolher a relação de velocidade mais económica em cada momento da condução ao avaliar a velocidade, situação em que o carro está e posição do acelerador. A relação de caixa ideal é indicada ao condutor através de um número no cockpit do carro.

Os novos BMW Série 1 já todos saem da linha de montagem com estas melhorias de eficiência, os Mini, a partir de Agosto e com toda a certeza se seguirão os restantes BMW’s. Assim, e voltando às economias de escala, a curto-médio prazo estes custos se diluirão nos custos totais de produção.

Curiosa foi também a referência da BMW para o facto de que estas “inovações” não necessitam de baterias (“No bateries required”) já que também já se percebeu que os híbridos também têm as suas falhas.

Anúncios

2 Responses to “Economias de escala e Ambiente”


  1. Janeiro 22, 2008 às 3:50 pm

    In the truth sit is all interesting it since it apprehends new knowledge on the ecom”nomia of scale.


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: